QUANTOS ESPECTADORES UM DOCUMENTÁRIO NACIONAL FAZ NOS CINEMAS?

Entre 2015 e 2016, foram lançados 98 documentários nacionais nos cinemas do Brasil. Esse número reafirma o bom momento da produção audiovisual nacional, com uma média de quase um novo documentário lançado por semana. Entretanto, embora a oferta de lançamentos de documentários nos cinemas seja grande, eles ficam restritos a poucas salas nos grandes centros como São Paulo e Rio de Janeiro, com apenas poucas semanas de exibição. Os números e conclusões a seguir são frutos da análise dos 98 lançamentos nacionais dos dois últimos anos conforme os dados divulgados pela ANCINE.

A primeira constatação interessante é que não há uma correlação entre o número de salas de lançamento e o público total. Ou seja, não há garantias de que, lançando o documentário em mais salas, o público será maior. No período analisado, entretanto, os três filmes lançados em mais salas são, coincidentemente, os que fizeram maior público:

Título Distribuidora Data de Lançamento Salas no Lançamento Público
O Sal da Terra Imovision 26/03/15 40 138.154
Chico – Artista Brasileiro Sony 26/11/15 52 97.697
Cássia Eller H2O Films 29/01/15 47 75.133

Para demonstrar que, no entanto, não há correlação clara entre o número de salas e o público, podemos observar esses três lançamentos:

Título Distribuidora Data de Lançamento Salas no Lançamento Público
Nos Passos do Mestre Vitrine Filmes 24/03/16 8 26,509
Cinema Novo Vitrine Filmes 03/11/16 19 6,641
Quanto Tempo o Tempo Tem Infinito Produções 31/03/16 9 5,955

Apenas para se ter uma ideia de como fica a relação entre número de salas no lançamento e público total, segue a imagem do gráfico de dispersão considerando os 98 lançamentos:

Dispersao_Docs_1

Fonte: OCA/ANCINE

Como podemos observar, os três documentários que atingiram o maior público tiveram uma performance muito distante de todos os outros lançamentos. Do ponto de vista estatístico, poderíamos considerá-los outliers, ou seja, destoam das outras observações e podem causar distorções na hora de analisar.

Entretanto, mesmo eliminando esses três filmes da amostra, ainda não é possível observar correlação entre as duas variáveis:

Dispesao_Docs_2

Fonte: OCA/ANCINE

Sendo assim, é mais produtivo observarmos apenas as informações quanto ao público total. Com os dados depurados, podemos chegar às seguintes conclusões:

  1. Um quarto (25%) dos documentários brasileiros lançados entre 2015 e 2016 nas salas de cinema do país tiveram uma bilheteria inferior a 319 pessoas;
  2. Metade (50%) desses documentários tiveram uma bilheteria inferior a 1.249 pessoas;
  3. Apenas 12 documentários atingiram uma bilheteria maior que 10 mil pessoas;
  4. Observando um gráfico de distribuição normal dos lançamentos de acordo com o público, constatamos que a grande maioria dos documentários nacionais atinge uma bilheteria de até 3 mil pessoas.

Frequencia_Docs

Fonte: OCA/ANCINE

Embora o Brasil esteja numa crescente de oferta de produções de documentários nos últimos anos, essa oferta não se reflete no mercado exibidor, com poucas e restritas salas disponíveis para esse tipo de produto. Adiciona-se a esse cenário, ainda, uma demanda muito restrita para esses conteúdos, que pode ser constatada pelo fato de que o lançamento em mais salas de cinema não se relaciona, diretamente, a um maior público total.

Os produtores de documentários tem que buscar, portanto, outras fontes de receitas e um mercado que tem se mostrado promissor é o de coprodução com canais de TV por assinatura. Um case interessante de sucesso é a parceria entre a Globo Filmes e a Globonews. Em três anos, as empresas possuem 80 documentários em produção com produtores independentes, conforme aponta essa notícia do portal Tela Viva.

Por hoje, é isso galera!

Beijos e abraços!

Não esqueçam de comentar, curtir, compartilhar, indicar pros amigos e tudo mais!

Se você tem algum projeto e precisa de uma forcinha no planejamento estratégico, viabilização ou formatação, me manda uma mensagem! Vou gostar muito de colaborar!

 

Anúncios

3 comentários

  1. Pena que filmes independentes como o documentário Sabotage: Maestro do Canão não foi citado e nem dado como exemplo. O filme teve mais de 50 mil expectadores nos cinemas, dados oficiais, e é ignorado pelos analistas de mercado, ancine e outros gostam de falar de numeros e estatísticas. Se quiser saber mais é só pesquisar, aliás que a premissa para se fazer um documentário que encontre seu próprio caminho no mercado e com o público. Outros exemplos podem ser citados que fizeram o cenário de produção de documentários crescer no país e que tiveram bons números!
    “”

    Curtir

    • Oi Denis! Obrigado por comentar. Os dados que utilizei para fazer a análise são os disponibilizados pela ANCINE no site oficial. De fato, não há registro do documentário que você citou (verifiquei aqui: http://oca.ancine.gov.br/sites/default/files/cinema/pdf/2102_1.pdf), por isso não apareceu na minha análise. Seria muito legal saber como foi o plano de distribuição desse doc, talvez possamos utiliza-lo como case num post futuro! Conta mais sobre isso, com certeza vai ser de grande ajuda pros produtores independentes! Um abraço!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s