Na sua estratégia de se colocar no mercado de streaming, a Apple Music anunciou a compra do formato “Carpool Karaoke”, quadro do programa The Late Late Show with James Corden, da emissora norte-americana CBS. Você já deve ter assistido esse quadro, que se tornou um verdadeiro viral da Internet, onde o apresentador James Corden dá carona a grandes celebridades da música e canta junto com eles os seus sucessos mais importantes (ou mais chicletes). Saiba mais sobre o novo programa aqui (em inglês).

Mas o que é um formato? Segundo a definição da ANCINE:

Formato de Obra Audiovisual: criação intelectual original, externalizada por meio que assegure o conhecimento da autoria primária, que se caracteriza por estrutura criativa central, invariável, constituída por elementos técnicos, artísticos e econômicos, descritos de forma a possibilitar arranjos destes elementos para a realização de uma obra audiovisual.

Exemplificando: Masterchef, The Voice, Big Brother… A grande maioria dos formatos que conhecemos são de reality shows. Em suma, trata-se de um conjunto de regras e estruturas que caracterizam uma obra audiovisual.

Em termos de negócios, criar um formato é uma grande vantagem para o produtor porque abre maiores possibilidades do produto “viajar”, como é dito no jargão audiovisual. O licenciamento do formato e não simplesmente do produto audiovisual pronto para outros países permite que ele seja adaptado às características locais (desde língua até questões culturais mais profundas), porém mantendo sua estrutura já testada e validada em outros mercados.

Há alguns cases também, de formatos de ficção, como por exemplo, a série Sessão de Terapia (GNT, 2012-2014), que foi uma adaptação do formato da série israelense BeTipul. Nos casos de ficção, ainda há controvérsias no mercado quanto a definição clara de um formato, porém não deixa de ser uma possibilidade interessante de comercialização.

A Ancine tem se preocupado bastante em incentivar esse tipo de desenvolvimento no Brasil, especialmente devido a suas potencialidades comerciais. Inclusive um dos editais do Fundo Setorial Audiovisual (FSA), o PRODAV 05/2016, que recebe inscrições de projetos até 23/02, contemplará o desenvolvimento de formatos audiovisuais com uma verba de até R$ 70 mil reais.

E aí, acha que é um modelo de negócio viável para sua produtora? Quer minha ajuda para fazer um planejamento? Escreve pra mim!

Beijos e abraços!

Anúncios